Arcus Odyssey – Muita ação garantida neste RPG isométrico!

Espaço para discussão sobre SG-1000, SC-3000, Master System, Mega Drive, Game Gear.

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
Sonymaster
Mensagens: 1000
Registrado em: Seg Out 30, 2017 11:52 pm
Localização: Pernambuco

Arcus Odyssey – Muita ação garantida neste RPG isométrico!

Mensagem por Sonymaster » Seg Jan 28, 2019 7:40 pm

Desenvolvido pelo competente estúdio Wolf Team (e que hoje não mais existe mas com funcionários que trabalham na Bandai Namco), Arcus Odyssey é um RPG de ação que chegou ao Mega Drive em 1991.

A bela abertura do game conta a história de como a feiticeira das sombras Castomira, que desejava destruir o mundo, foi aprisionada após um duelo mágico feroz contra a Princesa Leaty séculos atrás.

Imagem


Castomira foi selada no Mundo das Trevas por meio de uma espada mágica, que foi protegida pelos governantes do reino de Arcus. No entanto agora, muitos anos depois, os seguidores de Castomira roubaram a espada com o objetivo de libertar Castomira.

Para impedir essa tragédia novamente, o jogador (ou jogadores) pode escolher entre quatro guerreiros (imagem abaixo): Bead Shia, o mago; Diane Fireya, a elfa arqueira; Erin Gashuna, a guerreira e Jedda Chef, o cavaleiro.

Imagem

Cada um possui suas características, o mago por exemplo tem ataques de magias fortes, mas perde vida mais facilmente. A arqueira, minha preferida, é a mais equilibrada, e possui magia de recuperação de energia, enquanto que os guerreiros possuem danos reduzidos.

O jogo possui gráficos isométricos, semelhantes ao do clássico “Landstalker” e utiliza bem as capacidades de hardware do Mega Drive, levando em conta a época em que foi lançado – destaque para o design dos quatro personagens principais, assim como os vários inimigos e chefes de fase.

São monstros e criaturas que não acabam mais, e alguns bem criativos. Além dos gráficos do jogo, ainda podemos contar com uma bela apresentação no estilo anime com uma ótima qualidade, enquanto é mostrada a história do jogo. No final do jogo tem também algumas cenas de anime.

Imagem

Já na abertura do game podemos notar que a trilha sonora não é fraca, seguindo o padrão tradicional da Wolf Team em jogos como “Sol-Feace”, “Earnest Evans”, “El Viento”, que também contam com belos temas musicais compostos pelo talentoso Motoi Sakuraba, hoje em dia mais conhecido pelas trilhas sonoras da série de RPG “Tales of” da Bandai Namco.

As músicas são bem variadas, temos algumas bem agitadas, outras mais sombrias e outras mais lentas. Esse deve ter sido um dos primeiros trabalhos de Sakuraba em um game de RPG, estilo que o faz famoso hoje em dia.

Apesar de focado na ação, o jogo conta com alguns elementos de RPG, como os itens que você encontra pelo caminhos, os labirintos com quebra-cabeças, magias e personagens NPC que dão dicas importantes e um toque a mais na história do jogo, deixando-o mais interessante.

A vista isométrica do game talvez possa confundir os jogadores que não estão acostumados, o que pode dificultar um pouco na hora de movimentar o personagem na tela. Mas nada que não dê para se acostumar depois de algumas jogadas (e mortes) e você já vai estar andando nos mapas com os olhos fechados.

O jogo tem uma dificuldade média para difícil, as primeiras fases são tranquilas, mas depois os labirintos vão se complicando, os monstros ficam mais fortes e numerosos, e aí a coisa pode ficar preta pro seu lado. Caso esteja jogando no modo para dois jogadores, o jogo fica bem mais fácil (e divertido).

Imagem

Depois que você se acostumar com o controle dos personagens, é preciso cuidado para não confundir os botões, principalmente o de ataque e defesa, que são o mesmo. Você ativa a defesa segurando o botão de ataque, o que pode acontecer de alguns jogadores esquecerem dessa opção, já que a tendência é ficar atirando toda hora. E por falar em tiros, você ainda pode aumentar seu poder de ataque com upgrades, o que serão mais que bem-vindos.

Os personagens são rápidos para andar, o que torna bem fácil para fugir de inimigos se necessário, ou ainda de entrar no meio de um monte deles. Alguns personagens podem rebater seu ataque pela parede e acertar inimigos num lugar inacessível (se você é bom de sinuca, vai se dar bem aqui), como as flechas da arqueira.

Imagem


E ainda para ajudar, você encontrará pelo caminho muitos baús com itens que irão salvar tua pele na hora do aperto, como itens com vida, magias de ataque e defesa. Em algumas fases você ainda pode contar com a ajuda de alguns personagens extras, que irão se unir a você para tentar deter o renascimento de Castomira.

Arcus Odyssey” é um jogo simples, mas que pode surpreender pela escolha de personagens distintos, sistema de upgrades, magias e a possibilidade de dois jogadores simultâneos na tela. Merece uma olhada com carinho, caso você não o conheça ainda.

Fonte: Blog Tectoy
Sega x Big N Jogador de Videogame das décadas de 1980 e 1990

Responder