Sonic The Hedgehog – Uma grande aventura também no Master System!

Espaço para discussão sobre SG-1000, SC-3000, Master System, Mega Drive, Game Gear.

Moderador: Moderadores

Avatar do usuário
Sonymaster
Mensagens: 1000
Registrado em: Seg Out 30, 2017 11:52 pm
Localização: Pernambuco

Sonic The Hedgehog – Uma grande aventura também no Master System!

Mensagem por Sonymaster » Sáb Nov 24, 2018 10:09 pm

“Sonic The Hedgehog” foi projetado especialmente para o hardware do Mega Drive, porém não demorou muito para que o ouriço também fizesse sua estreia no Master System – em outubro de 1991, cerca de quatro meses depois que apareceu no Megão!

Apesar de contar com a supervisão da Sonic Team, o jogo foi desenvolvido principalmente pelo estúdio Ancient, empresa de Yuzo Koshiro, em sua primeira colaboração com a Sega para as versões 8 bits no Master System e Game Gear.

Imagem


Com uma mecânica focada na velocidade semelhante a do seu irmão 16 bits, o jogo traz alguns layouts novos para os cenários, como um mapa da ilha onde se passa a aventura (inexistente no Mega Drive) e fases realmente novas, o que dá a impressão de ser um jogo totalmente inédito ao invés de uma conversão.

O enredo do game segue o mesmo do Mega Drive: o malvado cientista Robotnik está capturando os inocentes animais da ilha e transformando-os em robôs maléficos para a criação do seu exército. Só mesmo o ouriço mais rápido do mundo pode detê-lo agora!

Imagem


Tanto quanto na versão do Mega Drive, o design dos estágios no Master System abusa do elemento velocidade. Além disso, como todo game de plataforma de muito boa qualidade, Sonic The Hedgehog tem uma grande quantidade de obstáculos, inimigos robôs, buracos cheios de espinhos, plataformas móveis etc.

Tudo permeado também por uma jogabilidade leve e simples. Mas o que mais marca são os longos cenários, molas, rampas e outros detalhes que acentuam a velocidade do personagem e alargam seu deslocamento na tela.

Imagem


Assim como no Megão, durante o percurso o jogador deve coletar um grande número de anéis dourados (ou argolas, como preferir chamar), que se tornariam uma das “marcas registradas” da série (lembre-se, esse foi o segundo jogo de Sonic feito, então ainda não haviam “regras” bem estabelecidas).

Todos os estágios estão abarrotados de anéis, que além de ampliar suas chances de ser bem sucedido ao atravessar os perigos com Sonic, ao coletar 100 deles ganha-se uma vida extra.

Imagem


Mas cuidado, diferente da versão do Mega, ao ser atingido por algum inimigo ou sofrer qualquer tipo de dano, perde-se todos os seus anéis (ou mesmo uma vida, se atingido sem nenhum deles) sem a possibilidade de coletá-los novamente.

Outro detalhe que se tornaria tradicional em games da série são as Chaos Emeralds. Porém ao invés de coletá-las nas fases bônus, neste game elas estão em locais bem escondidos e de difícil acesso em alguns estágios – elemento esse que incentiva a uma maior exploração dos cenários. E para ver o verdadeiro final do jogo, é preciso coletar todas as seis esmeraldas.

Com uma trilha sonora assinada por Yuzo Koshiro é claro que podemos esperar por músicas que aproveitam bem as capacidades do Master System, com melodias 8 bits extremamente refinadas, capazes de dar ao jogo um ar sublime e único.

Imagem


Nosso amigo azul assinalou um dos maiores clássicos da era 8 bits, ao lado de outros nomes de respeito como Alex Kidd e Wonder Boy. Este jogo marca uma das melhores e mais divertidas aventuras no Master System. Sonic The Hedgehog foi um game criado com muita criatividade e engenho.

Imagem


O sucesso e bom êxito deste primeiro game (tanto em sua versão do Mega Drive como no Master System) não apenas criou um padrão a ser reproduzido em futuros jogos, mas consolidou Sonic como um dos personagens mais originais já criados.

Fonte: Blog Tectoy Sonic 1

Sonic the Hedgehog 2: a aventura 8 bits é completamente diferente!


Sendo o primeiro game desenvolvido pelo estúdio Aspect Company, eles resolveram jogar “seguro” e utilizaram a mesma fórmula de jogabilidade e estilo gráfico do primeiro game, que foi desenvolvido pela Ancient Corporation. Saindo um mês antes de sua contraparte no Mega Drive, esta é a primeira participação do Tails, mesmo que apenas na história, e também de Silver Sonic, a primeira versão “de metal” do herói.

Imagem


Diferente do jogo anterior, o Sonic The Hedgehog 2 não possui nenhuma ligação com os 16 bits, sendo uma aventura com fases inéditas, mantendo apenas o mesmo nome. Além disso, ele é bem único perante a série em muitos aspectos, em especial por começar em uma caverna, não em um cenário tropical ou na cidade, além de que a fase final é feita de “cristais”, não se encaixando em nenhum clichê dos jogos do ouriço.

Imagem


Chama a atenção que a Aspect Company procurou singularizar ao máximo cada uma das fases com gimmicks próprias. Na Underground Zone, por exemplo, há carrinhos de mina, enquanto na Sky High há asa delta e na Aqua Lake há bolhas gigantes de ar que levam o Sonic a prosseguir verticalmente pela fase. Fora isso, as cores das molas de cada um dos cenários são diferentes, assim como na última os anéis possuem um brilho ao girar, mostrando que os desenvolvedores foram cuidadosos nos mínimos detalhes. Ponto para Aspect!

https://www.youtube.com/watch?v=B6RtXmMN9Og


Outra novidade é que os chefes não são mais engenhocas do Dr. Eggman, mas sim robôs-mestres, sendo que o cientista fica exclusivo para a batalha final. Cada um deles têm um padrão de movimento que necessita astúcia para esperar o momento certo de atacar, não bastando apenas sair “batendo” aleatoriamente.

Imagem


Visualmente, esse game utiliza o mesmo estilo da primeira aventura 8 bits, mas com alguns pontos de melhora como as cores do sapato do Sonic estarem vermelhos e não laranjas, as esmeraldas possuírem cores próprias dessa vez, além de que os cenários possuem mais detalhes. Isso fica bem evidente na Green Hills Zone, que usa o mesmo tema da fase homônima do primeiro game, porém com um visível salto qualitativo.

Já a trilha sonora, mesmo não sendo tão memorável quanto o primeiro, contém músicas marcantes. O destaque vai para a faixa da já citada Green Hills Zone, que acabou se tornando a You Can Do Anything, que é o tema de abertura japonês do Sonic CD.

A jogabilidade se mantém intacta do jogo anterior: o Sonic corre e pula e o objetivo é chegar ao final da fase superando obstáculos e derrotando inimigos. Coletando 100 anéis você ganha uma vida e correndo e apertando para baixo ele faz o “spin attack”.

https://www.youtube.com/watch?v=JCSL7naH-8A


As Esmeraldas do Caos voltam a ficar escondidas ao longo das fases, mas desta vez sempre no segundo ato e as placas que dão prêmios também estão de volta. A maior diferença no gameplay é que o nível de dificuldade é bem mais elevado desta vez, porém justo, provavelmente para que a aventura fosse prolongada ao máximo. Além disso, um detalhe interessante é que desta vez há os loopings, ausentes na primeira aventura 8 bits, enquanto os Special Stages foram cortados.

O enredo é simplório: Sonic saiu da Ilha do Sul após os eventos do primeiro jogo em busca de aventuras, e ao voltar, percebeu que nenhum de seus amigos animais estavam por lá. Confuso, ele vai até sua casa e encontra uma carta escrita pelo Tails explicando que os animais foram capturados pelo Dr. Robotnik e que o próprio está trancado em um lugar chamado Ovo de Cristal (Crystal Egg). O cientista obrigou Tails a escrever o manuscrito dizendo que ele o libertará caso o Sonic entregue as seis Esmeraldas do Caos , e assim, se inicia mais uma aventura para o herói.

Imagem


A maior crítica a ser feita neste game é quanto a versão de Game Gear. Diferente do jogo anterior que foi redimensionado para caber na resolução menor do portátil, o Sonic The Hedgehog 2 mantém os mesmos gráficos de sua versão para consoles, porém com um campo de visão menor, o que aumenta consideravelmente o nível de dificuldade, em geral, de forma injusta.

Fora isso, a reutilização da mesma jogabilidade do Sonic The Hedgehog de modo praticamente intacto também é algo criticável, já que não há nenhuma habilidade inédita para o ouriço. O level design da fase Scrambled Egg Zone também é questionável, já que nela você corre por tubos que eventualmente te levam a espinhos sem que você possa prever, provocando mortes, além de que você fica dando voltas em um mesmo lugar sem sentir. Por fim, algumas Esmeraldas do Caos possuem localização ilógica e dificilmente um jogador iria descobrir sem um manual indicando onde ela está.

MASTER SYSTEM VS GAME GEAR:


Imagem


As batalhas contra os chefes da Underground Zone e Green Hills Zone são em áreas menores para compensar a resolução mais baixa do Game Gear (foto acima);

Abertura é um pouco diferente. Na versão do Master mostra o Sonic correndo atrás do Dr.Robotnik que capturou o Tails, enquanto no Game Gear mostra o Dr.Robotnik capturando o Tails com sua engenhoca e depois indo embora;

Aa águaa da fase Aqua Lake são diferentes: no Master System é verde e no Game Gear é azul.
Na mesma fase, no Master há um monitor com os sapatos de velocidade do Sonic. No portátil foi substituído por um de dez anéis;

Imagem


Duas músicas são diferentes: a de chefe é única para cada versão, parecendo que a do Game Gear tem uma instrumentação mais rica, e o desfecho bom possui uma música mais feliz no portátil, enquanto no Master toca a mesma trilha tanto para o final bom quanto para o ruim.

Imagem


Sonic The Hedgehog 2 para Master System e Game Gear é um típico jogo do ouriço dos anos noventa: você corre e pula para superar obstáculos, derrota inimigos e deve impedir o Dr. Robotnik de seus planos mirabolantes para dominar o mundo. Bom em todos os pontos técnicos, abusando de gimmicks, chefes criativos e qualidade visual superior ao primeiro game, este é um título que merece “uma olhada” a todos que curtem uma aventura 2D do azulão.

Fonte: Blog tectoy Sonic 2
Sega x Big N Jogador de Videogame das décadas de 1980 e 1990

Responder